Be-a-bá da vida

Todo colégio tem uma atmosfera interessante e isso sempre me fascinou. Gosto desse local onde tantas vidas e histórias se concentram. É onde nos tornamos pessoas. O que digo nada tem a ver com conteúdo acadêmico – isso é o de menos. Falo de onde aprendemos a viver, a conhecer “o outro” e, sobretudo, nós mesmos.

Saudades do MEU colégio. Saudade do cheiro de tinta guache. Das minhas sandálias brancas sujas de cera vermelha. E de brincar com os meninos perto do escorrega pequeno. Saudade de virar cambalhota na grade do pátio. De dar estrela e de pular elástico. Saudade de passar o recreio no “morro da morte” ouvindo histórias de terror. De comprar drops Dulcora misto na cantina. Saudade do balé à noite. De andar escorregando pelos corredores de pé direito alto e tábuas corridas. De matar a aula de educação física. Dos bilhetes na sala de aula. Saudade dos saraus. Do refeitório em dias de chuva. Saudade do primeiro beijo. Saudade de tomar sorvete, mesmo no frio. De pegar sol no gramado. Das árvores e do vento que soprava no final da tarde. Pessoas, momentos e lugares.

Durante muito tempo aquilo foi o meu mundo (e talvez, de certo modo, ainda seja).

Saudades de onde aprendi a ser EU.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Publicado em Crônicas e Contos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *