Esfinge

Se não ouso dizer o que sinto
Não é por medo
Mas pelo desejo
De que você me adivinhe

Vem
E me decifra
(É bem mais divertido assim)

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Publicado em Versos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *