Mudança e luz

Não sou só oito ou oitenta. Entre esses dois números, existem outros 71. E quanto mais me conheço, mais me surpreendo. Sei que sou inconstante. Gosto disso e daquilo. Gosto de calor e de frio. De preto e de rosa. Dias de multidão e dias de solidão. Dias de celular de cinco em cinco minutos e dias de secretária eletrônica. Às vezes, acho que não sou uma só, pois tantos gostos e sentimentos conflitantes não poderiam caber em um só ser humano. Mas acho que tudo seria muito chato se não fosse assim. Podemos mudar de acordo com nossos desejos e com nossas necessidades. Todos nós temos direito ao nosso momento borboleta ou camaleão. E isso é uma dádiva da qual devemos usufruir.

Por isso, o novo sempre me agrada. Novas possibilidades, novas perspectivas, novas idéias, novo visual. E acredito que uma simples mudança de humor pode mudar muita coisa a nossa volta. Assim como uma mudança externa pode refletir nos nossos sentimentos. Mas, hoje, descobri que, em certos momentos de escuridão, por mais que se procure, não há sequer uma lanterna disponível. É necessário ter luz própria. Acho que estou num momento vaga-lume. (E eu nem sabia que podia ser assim.)

 

Um final de semana iluminado pra vocês. 😉

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Publicado em Crônicas e Contos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *