Questionário literário

Não sou muito de questionários (inclusive, não adianta me mandarem e-mails desse tipo, pq deleto sem ler, quanto mais responder… rs), mas Dani Burralda me passou esta pequena “tarefa”, que achei bacana por ter algum conteúdo além de “que horas são?” e “você prefere coca ou guaraná?”. Estão, vamos lá…

Não podendo sair do Fahrenheit 451, que livro quererias ser?

Não li o livro. Não vi o filme. Sei do que se trata, mas não entendi a pergunta. E ODEIO não entender uma pergunta! Não saber a resposta é uma coisa. Não entender o que querem saber é outra. Na verdade, o que não faz sentido pra mim é o “não podendo sair”…. Ai, que ódio! rs…
Então, vou esquecer os livros proibidos, OK? Se é simplesmente pra ser um livro, escolho algum da Clarice Lispector.

Já alguma vez ficaste apanhadinho(a) por algum personagem de ficção?

Apanhadinha? Cara, gostaria de saber quem escreveu isso… Hahahaha…
Mas, não sei… Talvez o Tristão, de Tristão e Isolda. Ah, esses amores proibidos… rs…

Qual o último livro que compraste?

Ih… JURO que não lembro qual foi!

Qual o último livro leste?

Reli a biografia do Renato Russo, do Arthur Dapieve.

Que cinco livros levaria para uma ilha deserta?

Vou usar a mesma técnica da Dani: livros que eu gostaria de ter, ou tenho e ainda não li:
– Noites Tropicais, de Nelson Motta;
– Amor é prosa, sexo é poesia, de Arnaldo Jabor;
– O nome da rosa, Umberto Eco. O tamanho faz com que até hoje não tenha saído da estante. (rs…);
– O fantasma da ópera, que vi no encarte de promoções da Casa & Video (!!!) de hoje e me deu muita vontade de ler;
– Centro: das nossas desatenções, do Antônio Torres. (By the way, que papo é esse de “querido”, Dani? Tudo bem que o cara é gente boa, mas não precisa pegar pesado… Hahahaha…) Outro dia, vi na Cultura um documentário baseado no livro, e tô doida pra comprar. Se alguém se habilitar, eu agradeço do fuuuundo do coração… 😉

A quem vais passar esse testemunho e por quê?

Fica muito feio eu quebrar a corrente? 😛
(Anti-social é a mãe!)

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Publicado em Generalidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *