Blogando e andando…

Lembro-me perfeitamente de quando minha amiga Bucéfala, a “Burralda Mor”, teve a idéia do Mulé Burra e me convidou para fazer parte desta surreal equipe de mulheres inteligentes, lindas, divertidas, chiquérrimas, bem resolvidas, independentes – e modestas -, porém com orelhas super desenvolvidas quando o assunto é o relacionamento com o sexo oposto. Achei a proposta divertida e aceitei de imediato. Mal sabia eu onde estava me metendo…

Escrever em um site como este não é tão simples quanto parece. “Ah, é só um blog, certo?” Certo. Mas e as conseqüências? Tá achando que vida de burralda é fácil? Já pararam pra pensar?

Chego num lugar legal, conheço um carinha legal, pinta um clima legal… Aí, ao invés de imaginar se ele beija bem, se ele me achou tão interessante quanto eu o achei, ou mesmo começar a pensar num nome pro nosso primeiro filho, de repente me pego analisando as características marcantes do sujeito, reparando os defeitinho engraçados, imaginando um apelido pro bofe, um título engraçado, um post inteiro! A essa altura do campeonato, das duas uma: ou o cara acha que eu estou pensativa demais porque não fui com a cara dele (e o clima acaba), ou eu tenho uma crise de riso (e o clima acaba).

Minha vez de postar, penso num tema legal, lembro alguma história engraçada, sento a bunda na frente do computador e começo a escrever. Hum, melhor trocar os nomes, né? Vai que fulana lê? Ela não pode saber disso e vai dar merda. É… Melhor trocar o local onde aconteceu, assim disfarça mais um pouco. Pensando bem, melhor mudar o desfecho porque o carinha tal vai descobrir que estou falando dele. AH, PORRA! Vou escrever outra história porque essa não é mais a MINHA história!!!

Você pode pensar que estou exagerando, né? “Quem vai querer tanto saber da sua vida?” Você quer a resposta por ordem alfabética, de importância ou aleatória mesmo? Amigos(as) verdadeiros(as) (para o papo render depois), amigas falsas (para fazer fofoca nas suas costas), inimigas declaradas (quem fingem nem saber que o site existe), amigas-fura-olho (para saber se você sabe), namorados (para saber dos seus podres do passado/presente/futuro), ex-namorados (esses eu não consegui ainda saber o porquê), ex-namoradas (dos namorados, pelamordedeus!), pretendentes em geral (querendo saber se você já está solteira) etc. etc. etc. Sério, às vezes tenho medo do tamanho (opa!) disso tudo. Um post mais polêmico e já me sinto na capa da Contigo!: o telefone toca, torpedos chegam, neguinho enchendo no MSN. Tenho até pesadelos com o Nelson Rubens dizendo “OK, OK, Jujumenta Burralda se fudeu de novo! Mais detalhes depois dos comerciais. Não saia daí!”

Agora, imagina se um dos personagens de uma dessas histórias acaba descobrindo isso aqui justamente quando ele está sendo o cristo do dia, condenado por uma burralda e apedrejado por inúmeros comentários de internautas ensandecidos? É, caríssima leitora, A CASA CAI BONITO!!! Bom, ao menos a gente pode ter certeza de que de uma maneira ou de outra ele vai se manifestar. Pelo menos o dito cujo vai se dignar a dar alguma explicação pro que aprontou, coisa que geralmente a gente não tem. É como me disse a Bubu dia desses: “Acho que vou dar o endereço do blog pra todos os meus ex!”.

Não, eu não tirei o dia pra reclamar e nem penso em deixar de ser burralda. Realmente só estava analisando a proporção que isso aqui tomou. Até porque, há muuuuuuitos aspectos positivos. E o melhor de todos, o nosso coringa, o nosso ás na manga, é que o Mulé Burra é uma ótima arma de defesa (ou ataque, dependendo do ponto de vista). Sim! Como??? Experimenta ameaçar um homem dizendo que se ele fizer qualquer merda contigo vai ser julgado – e xingado – por centenas e centenas de pessoas na internet? (Risada maligna e Carmina Burana ao fundo, please.)

OK, a tática não é 100% eficiente. Homem é foda mesmo. Mas eu sempre terei onde lavar a roupa a suja. E a alma.

* * *

PS: Pra lavar a minha alma hoje, nem OMO, nem Vanish poder O2, nem Easy Off Bang dariam jeito… Então resolvi desencanar. Não estou a fim de outra capa da Contigo! no momento.

Jujumenta

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Publicado em www.MuleBurra.com.

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *