Faça você mesmo

Tô preparando a nova versão do layout do MB que vem por aí (tchanannnn) e aproveitei para dar uma mudada por aqui também – como se não mudasse sempre. (Gostaram?)

Engraçado que fiquei lembrando de quando comecei a mexer com isso, sem saber absolutamente nada, apenas com a cara e a coragem. Tudo bem que sempre fui enxerida a aprender tudo sozinha e não entender algo (que eu quero) me deixa profundamente frustrada. Eu tento, tento de novo, insisto até conseguir.

Do mesmo modo que me incomoda profundamente pessoas que não sabem e não querem aprender. Odeio coisas do tipo “Ah, não sei, faz pra mim?” e adoro um “Ah, não sei, mas você me ensina?”. Pra mim, aprender algo é mais do que um prazer, é um desafio instigante. É um prazer que você vai saboreando aos poucos, a cada descoberta, a cada solução de problema, até o deleite da vitória final.

No MB mesmo, eu comecei a mexer porque os templates feito por terceiros não estavam satisfazendo. E olha que eram layouts ótimos, mas é aquilo: a gente sempre quer a coisa do NOSSO jeito.

Eu sempre penso assim… Se você quer algo, corra atrás. Se não sabe fazer, descubra como. Não espere que alguém faça por você. Não deixe essa realização para os outros. Aprenda a construir seus próprios castelos.

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

Sex and the city meRmo

Sempre ouvi de todo mundo que o MB é a cara de Sex and the city, mas nunca achei nada que provasse essa teoria por A+B, além de sermos quatro mulheres e o tema central ser relacionamentos. Por incrível que pareça, nunca tinha visto a série e resolvi me redimir assistindo a tudo desde o início. (Estou na terceira temporada!)

Em um dos episódios, Carrie tava quase se debatendo de vontade de ligar pro escroto do Big, depois de ter tido mais uma de suas reaídas, mesmo tendo um namorado lindo e perfeito. E o negócio tava tão frenético que o “se debatendo” era até literal…

Fazendo comparações entre o que ela devia e o que queria fazer, racional e emocional, com os lados esquerdo e direito do cérebro, ela acaba se rendendo à tentação de procurar o Big. Ao admitir a burrada, solta:

“Não era lado esquerdo ou direito, era falta de cérebro.”

Rá! Sem mais perguntas meritíssimo.

(Carrie é um bicho burro meRmo!)

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .